Crise

Ritmo Da Crise Desacelera No País

Hull Lifting/ Ship Yard, S.Korea

Após um ano de 2015 difícil e um 2016 de péssimas perspectivas no âmbito político – com séria e grave repercussão na economia brasileira – parece que o cenário começa a mudar no País a partir do segundo semestre deste ano. O ritmo de agravamento da crise econômica vem perdendo força, segundo indicou o Termômetro da Indústria da Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgado nessa sexta-feira (26) com dados referentes aos meses de junho e julho.

Entre os nove indicadores investigados pela pesquisa, cinco deles tiveram desempenho positivo: produção industrial, com crescimento de 1,1% em junho ante maio, horas trabalhadas na produção (0,2%), faturamento (2%), confiança do empresário industrial (51,5 pontos) e exportações, com crescimento de 4,7% em julho.

Tiveram desempenho negativo os indicadores emprego (-0,6%), intenção de investimento (42 pontos) e utilização da capacidade instalada (36,5 pontos). O item estoque teve resultado neutro. De acordo com a CNI, a predominância de resultados positivos indica que a crise parou de se agravar, embora a atividade industrial ainda não tenha se recuperado.

Direção correta

“Ainda não é possível dizer que a crise ficou para trás. Mas o comportamento de alguns indicadores é um sinal de que as coisas começam a melhorar e que as medidas adotadas pelo governo até aqui estão na direção correta”, afirma o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, sinalizando uma melhora na economia do País. A indústria, inclusive, vem sendo um dos setores produtivos mais abalados pela piora do cenário econômico.

FONTE: Portos e Navios.

Tags