Petrobras

Petrobrás pretende assinar novo contrato para Snox da Refinaria Abreu e Lima até Julho

A Unidade de Abatimento de Emissões (Snox) da Refinaria Abreu e Lima (Rnest), em Pernambuco, é um dos equipamentos mais importantes da planta, no entanto, a sua conclusão tem sido bastante difícil. Suspensa em 2014, a obra será retomada, com a decisão da Petrobrás de assinar contrato com a empresa vencedora da licitação até julho.

rnest-coque-300x273

O equipamento é essencial para que a estatal possa produzir combustíveis sem enxofre, o que faz a Rnest atuar com apenas 39% da sua capacidade sem ele em plena atividade. O consórcio liderado pela Alumini, antes chamada de Alusa, e a Petrobrás tiveram algumas divergências quanto ao pagamento de aditivos ao contrato original, que chegavam a marca de R$ 1,2 bilhão.

Sem o Snox, a Petrobrás tenta compensar sua perda de produção na Rnest com o pedido de autorização junto à Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) para processar o total de 120 mil barris por dia, com um tipo de petróleo menos poulente.

A Rnest será a primeira refinaria da América Latina a contar com este tipo de equipamento. Duas unidades gêmeas estão no projeto e grande parte da obra já está concluída, com 90% e 75% de avanço.

 

Fonte: PetroNotícias.