Petrobras

O Programa De Pacerias Trará US$ 95 Bi Nos Próximos 5 Anos, Diz Parente

A Petrobras tem motivos para ter “uma cautelosa e justificada esperança de que a empresa foi recolocada numa trajetória de firme e consistente recuperação”, disse o presidente da companhia, Pedro Parente, na abertura da Rio Oil & Gas Expo and Conference, nesta segunda-feira, 24/10, no Rio de Janeiro. Para ele, o setor de óleo e gás pode responder rapidamente a uma estabilidade de regras no setor. “Posso afirmar sem sombra de dúvidas que muitos bilhões de dólares aguardam apenas que regras adequadas e estáveis estejam presentes, para começar a fluir. Somente a Petrobras, e seu programa de parcerias e desinvestimentos, será responsável por investimentos em torno de 95 bilhões de dólares nos próximos cinco anos – sendo 75 próprios e 20 de parceiros”, afirmou.

A cerimônia de abertura contou ainda com a presença do presidente da República, Michel Temer, dos governadores do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, e do Espírito Santo, Paulo Hartung, do ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, do ministro interino do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, do prefeito da cidade, Eduardo Paes e da diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard.

Pré-sal

A possibilidade da Petrobras escolher em que campos será operadora no pré-sal; e a flexibilização das regras de conteúdo local também foram temas em destaque na solenidade. De acordo com o presidente Temer, “desafogar” a companhia e trazer os setores da iniciativa privada levará à geração de empregos. “A recuperação institucional e financeira da Petrobras dará novo ímpeto ao setor”, disse.

“A parte mais difícil começa agora”, diz Parente

“Embora tenhamos hoje um bom e sólido plano estratégico, sabemos que a parte mais difícil começa agora: executar esse plano e entregar seus resultados conforme previsto”, afirmou o presidente da Petrobras, Pedro Parente. A Petrobras lançou como métricas principais, no Plano Estratégico e Plano de Negócios e Gestão 2017-2021, a redução em 36% de sua Taxa de Acidentados Registráveis e a queda de sua dívida líquida em relação à geração de caixa de 5,3 em 2015 para 2,5 em 2018.

Parente ressaltou que liderança e força de trabalho estão assumindo juntos todos os desafios colocados e atribuiu parte do reconhecimento que a empresa obteve nessa fase de recuperação às condições dadas pelo presidente Michel Temer para que ele administre a companhia. O presidente destacou a capacidade técnica da empresa e os recordes recentes de produção, especialmente no pré-sal.

O presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), Jorge Camargo, afirmou que competitividade será o principal assunto nesta edição da Rio Oil & Gas. “Vivemos tempos de recursos energéticos abundantes e orçamentos restritos. Essa é uma indústria resiliente. Não será nem a primeira nem a última crise que vamos atravessar”, declarou.

FONTE: TNPetróleo.