Meio Ambiente Tecnologia

Lubrificação de eixos com água do mar evita poluição

Por: Cleci Leão.
A cada ano, 240 milhões de litros de óleo vazam nas águas do mar, o equivalente a seis acidentes como o do Exxon Valdez.

A indústria marítima é uma das atividades do comércio mundial que mais causam impacto ao meio ambiente, embora seja também uma das mais citadas nas iniciativas de sustentabilidade (Leia no Guia o artigo de Leandro Barreto sobre a COP 21). Ainda assim, há esforços por parte de uma série de instituições e empresas na tentativa de reduzir os danos dessa atividade sem a qual a economia mundial não sobreviveria.

Durante a celebração do Dia do Planeta Terra, em 22 de abril, a empresa canadense de peças para navios Thordon Bearings divulgou o lançamento de sua ferramenta exclusivamente desenhada para calcular a quantidade de óleo que os navios deixam de derramar nos oceanos ao optar pelo sistema de lubrificação com água do mar nos sistemas de rolamento de eixo propulsor do hélice.

Batizado em inglês como Oil Savings Calculator, o dispositivo permitiu à Thordon Bearings registrar a prevenção do derramamento de mais de 60 milhões de litros de óleo nas águas mundiais desde a criação do sistema de lubrificação com água do mar nas buchas de eixo.

O presidente da empresa, Terry McGowan, ainda foi enfático nos propósitos ambientais da Thordon Bearings: “na nossa opinião, o único sistema retentor aceitável é aquele que permite vazamento zero”.

Em 2015, a ITOPF (Federação Internacional de Controle à Poluição de Tanqueiros) havia concedido à empresa canadense um prêmio ambiental pela criação do sistema propulsor sem óleo COMPAC, que utiliza água do mar para lubrificação. A presidente da federação, Dra. Karen Purnell, declarou que a entidade “apoia as iniciativas realizadas por associados e parceiros na busca por melhores padrões ambientais”. Embora a função primordial da federação seja providenciar ações efetivas em caso de derramamento de óleo e produtos químicos no mar no mundo todo, Purnell afirma que “também é de interesse da instituição incentivar os esforços da indústria marítima em reduzir a poluição originária das embarcações e, desta forma, fomentar as operações marítimas sustentáveis”.

O cálculo de prevenção de derramamento baseia-se em análises estatísticas detalhadas do número de navios que foram construídos com o Sistema de lubrificação por água do mar, considerando os 300 dias em que cada navio está geralmente operacional, e uma média de vazamento de 6 litros por dia por navio.

Uma pesquisa realizada em 2014 por uma empresa independente de Nova York considerou que o total de descargas de óleo em navios marítimos deve chegar a 240 milhões de litros anualmente. Para se ter uma ideia do impacto ambiental, o famoso acidente ocorrido com o Exxon Valdez, em 1989, causou um derramamento de 41,6 milhões de litros.

Embora 90% dos navios ainda continuem a utilizar sistemas lubrificados a óleo, o gerente de Customer Service da Thordon Bearings, Craig Carter, diz acreditar que a indústria esteja passando por uma transição tecnológica que muito provavelmente fará com que as peças lubrificadas a óleo sejam logo transformadas em história do passado. “A nova calculadora oferece uma boa perspectiva do quanto a nossa empresa, assim como a indústria marítima em geral, pode avançar se continuarmos a trabalhar juntos para desenvolver soluções ambientalmente corretas”, disse Carter.

Fonte: Guia Marítimo.