Sem categoria

Greve De Estivadores Gera Pejuízo Estimado Em US$ 8 Mi

A greve dos estivadores na BTP (Brasil Terminal Portuário), Libra e Santos Brasil que dura a uma semana já traz prejuízos a empresários do setor. A estimativa do Sindamar (Sindicato das Agências Marítimas) chega a US$ 8 milhões devido a paralisação de várias operações portuárias nos terminais.

Os estivadores avulsos e vinculados as empresas estão parados e montaram até um acampamento ao lado da entrada de um terminal portuário. De acordo com o Sindicato dos Estivadores, a categoria reivindica o reajuste salarial dos vinculados e correção dos ganhos dos avulsos em 11,78%, retroativo a março. As empresas oferecem 9% pagos em duas vezes. Além da data-base, empresas e funcionários também discordam em relação ao valor vale-refeição. O sindicato quer que seja de R$ 30 e as empresas oferecem menos. Segundo o Sindicato, a questão dos reajustes foi acertada, mas há outras pendências.

A juíza do Tribunal Regional do Trabalho negou o pedido de liminar do Sopesp (Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo) para suspender a greve. A paralisação atinge três terminais de containers do Porto de Santos. Os prejuízos se acumulam todos os dias.

“Nós fizemos um cálculo bem conservador. Esse cálculo atinge US$ 8 milhões Se nós fossemos considerar todas as questões, como atraso do navio em Santos, perdendo janelas, aumento de combustível, podemos dizer que esse valor poderia até triplicar”, afirmou José Roque, diretor executivo do Sindamar.

Em nota, o Sopesp informou que continua estranhando a greve dos estivadores e que o movimento continua mesmo depois do despacho do Tribunal Regional do Trabalho, na última sexta-feira (23), para que as operações voltem ao normal no Porto de Santos. A Câmara de Contêineres do Sindicato diz ainda que espera pelo retorno dos trabalhadores.

O novo julgamento, que estava marcado para o dia 5 de outubro foi antecipado para hoje, quarta-feira (28), no TRT, em São Paulo.

FONTE: Guia Marítimo.