Portos & Infraestrutura

Dois Novos Berços Do Porto Do Pecém Devem Começar A Funcionar Até Maio

“Até maio, os dois novos berços (7 e 8), que já estão prontos, começam a funcionar em fase de teste. Já o berço 9 deve iniciar as suas operações em novembro deste ano”, declarou o presidente do Porto do Pecém, Danilo Serpa, após participar de reuniões, esta semana, com alguns órgãos nacionais responsáveis pela autorização de funcionamento dos novos berços no país.

Serpa, acompanhado do diretor de operações do porto, Waldir Sampaio, esteve no Rio de Janeiro com o diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH), Domenico Accetta. Em seguida se reuniu com o Capitão de Fragata do Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), Muthz Barros. O principal objetivo dos encontros foi analisar a atual situação dos novos berços (7, 8 e 9), e obter a autorização para o funcionamento.

Na última terça-feira (19), em Brasília, o presidente também conversou com o diretor geral interino da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Fernando Fonseca. Danilo explicou o novo momento que o Ceará vive e falou sobre a expectativa para o início das operações da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), que vai incrementar significativamente a movimentação através do porto. “Os novos berços regularizados e prontos para receber embarcações são essenciais para tornar as operações do porto ainda mais eficazes”, finalizou o presidente.

Entenda

Um novo berço para começar a receber cargas precisa da permissão de diversos órgãos como Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), da Marinha, da Agência Nacional de Transportes Aquaviários e da Receita Federal, além de diversos estudos que precisam ser realizados. Dentre eles, podemos destacar a batimetria, realizado por órgãos homologados pelo CHM, determina a profundidade exata e qual o perfil dos navios que poderão atracar naquele local.

Atualmente existem seis berços de atracação em pleno funcionamento: dois no primeiro píer, dois no segundo, e dois no Terminal de Múltiplas Utilidades (TMUT), que chegam até 18 metros de profundidade natural. Com o inicio das atividades dos novos três berços, que fazem parte da segunda obra de expansão, a capacidade de movimentação através do Pecém aumenta para 750 mil TEU’s /ano, atendendo a crescente demanda que vem sendo observada no Porto do Pecém.
Segunda expansão

A obra de segunda expansão, que apresenta mais de 72% de avanço, também inclui a engorda do quebra-mar, uma nova ponte de acesso e uma correia transportadora de minério de ferro para atender a siderúrgica. A finalização está prevista para junho de 2017.

FONTE: Portos e Navios.