O setor portuário brasileiro movimentou, em 2018, 10,041 milhões de TEUs (medida padrão, equivalente a um contêiner de 20 pés). Esse número representa um crescimento de 7,22% em relação a 2017, quando foram movimentados 9,364 milhões de TEUs. Os dados são do Estatístico Aquaviário elaborado pela Gerência de Estatística e Avaliação de Desempenho da ANTAQ. Em relação a toneladas, portos e terminais movimentaram 112,7 milhões no ano passado, um crescimento de 4,81% em comparação com 2017, quando foram movimentadas 107,5 milhões de toneladas.

Os portos públicos movimentaram 7,142 milhões de TEUs em 2018, um crescimento de aproximadamente 10% em relação a 2017. Já os portos privados ficaram com 2,898 milhões de TEUs no ano passado, um incremento de 1,50%. A participação dos portos públicos na movimentação de contêineres foi de 71%. A dos portos privados alcançou 29%.

A instalação portuária que mais movimentou contêiner em 2018 foi o Porto de Santos, com 3,221 milhões de TEUs, seguido por Paranaguá (PR), Rio Grande (RS) e pela Portonave (terminal privado em Navegantes – SC). No ano passado, o Porto de Santos cresceu 8,83% na movimentação de contêineres em comparação com 2017.

O longo curso foi o tipo de navegação que mais movimentou contêineres em 2018: 7,134 milhões de TEUS, crescimento de 5% em relação a 2017. Depois aparece a cabotagem, com 2,750 milhões de TEUs, incremento de 10%. Levando-se em consideração o sentido, o Estatístico Aquaviário mostra um equilíbrio. No ano passado, foram 5,037 milhões de TEUs embarcados; e 5,003 milhões de TEUs desembarcados.