O petróleo fechou em queda o pregão desta quarta-feira, 5, após oscilar num dia de menor liquidez com o luto oficial pela morte do ex-presidente americano George H. W. Bush, que mantém os mercados financeiros no país fechados, e na expectativa pela reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para janeiro fechou em queda de 0,68%, em US$ 52,89 o barril, enquanto na Intercontinental Exchange (ICE) o Brent para fevereiro recuou 0,83%, a US$ 61,56 o barril.

Investidores buscaram, durante a quarta-feira, sinalizações sobre a decisão que será tomada pela Opep e seus aliados na reunião que tem início nesta quinta-feira. O ministro de Petróleo e Gás de Omã, Mohammed Al Rumhi, chegou a afirmar que há um acordo de corte da produção, inclusive com a Rússia, que seria de cerca de 1 milhão de barris por dia (bpd) ou mais. Na terça-feira, no entanto, o ministro de Energia da Arábia Saudita, Khalid Al-Falih, classificou como “prematuro” dizer o que acontecerá no encontro. A reunião do cartel começa na quinta-feira e, na sexta, serão recebidos também os aliados do grupo. Coletivas de imprensa são esperadas nos dois dias.

Enquanto divergem sobre o impacto que um corte pode ter ao mercado, há um consenso em análises obtidas pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, de que uma redução será, por fim, a decisão adotada pela Opep nesta quinta. Para elas, o volume produzido pode recuar entre 1 milhão e 1,5 milhão de bpd.

“Raramente houve tamanha incerteza na véspera de uma reunião da Opep”, destaca o Commerzbank em nota a clientes. “Continuamos a esperar uma redução de produção, embora a incapacidade de chegar a um acordo não possa ser descartada depois de ontem (terça)”, apontam os analistas, em referência às declarações do ministro saudita.

Eles acrescentam que os dados divulgados na terça pelo American Petroleum Institute (API), dos estoques nos EUA, “mostram como a produção precisa ser urgentemente cortada”. Na leitura da instituição, o volume estocado do óleo em solo americano cresceu 5,4 milhões de barris na última semana, enquanto a previsão de analistas era de avanço menor, de 1,9 milhão de barris. O relatório semanal do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) dos EUA será publicado excepcionalmente na quinta-feira, devido ao luto oficial.