Investimento totaliza R$ 5,5 milhões

Parceria com CNPq tem foco nas áreas de petróleo, gás natural e energias renováveis.    Estão abertas as inscrições para bolsas de mestrado e doutorado em uma iniciativa conjunta Equinor - CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) para formação de mestres e doutores nas áreas de petróleo, gás natural e energia renovável.  A ideia é fruto de uma parceria do CNPq com a norueguesa Equinor, que atua no Brasil desde 2001 realizando projetos de óleo e gás e vai inaugurar este ano no país sua primeira usina de energia solar no mundo, localizada na cidade de Quixeré, no Estado do Ceará.  O investimento total da Equinor no apoio a essas bolsas de estudo em parceria com o CNPq é de aproximadamente R$ 5,5 milhões - o valor se refere à cláusula de incentivo à pesquisa, desenvolvimento e inovação no Brasil da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O investimento faz parte de uma das iniciativas da Equinor em desenvolvimento de competência no Brasil, como extensão do investimento no programa Ciência sem Fronteiras, que é do governo federal e foi extinto no ano passado.  A chamada pública tem por objetivo selecionar propostas para apoio financeiro a projetos que visem contribuir para o desenvolvimento científico e tecnológico do país. A chamada será elegível para propostas de professores doutores que tenham vínculos a um Instituto de Ciência e Tecnologia ICT (instituição de ensino superior, pública ou privada, instituto e centro de pesquisa e desenvolvimento e empresa pública, que execute atividades de pesquisa em ciência, tecnologia ou inovação) com o seu currículo cadastrado na Plataforma Lattes que desejem ser coordenadores dos projetos. O acordo prevê que 2/3 das vagas sejam para mestrado e 1/3 para doutorado. Os interessados têm até o dia 25 de janeiro de 2019 para enviar propostas para desenvolvimento de pesquisas nos seguintes temas e linhas de pesquisa: 1) Estudos em reservatórios carbonáticos: estudos em reservatórios pré-sal em área de caracterização de reservatório (conceitos geológicos, respostas geofísicas e métodos de caracterização de propriedades), modelagem e simulação, avaliação e produtibilidade e otimização de produção e design.   2) Engenharia Submarina: sistemas de produção submarina, dutos rígidos e flexíveis, automação e digitalização, tratamento e injeção de água do mar, separação compacta.  3) Recuperação Melhorada de Petróleo: otimização de produção, vislumbrando a melhoria da eficiência energética na operação dos campos e otimização de produção, focando na: eficiência das bombas, otimização dos sistemas de produção implementados, novas tecnologias de produção e injeção de poços, otimização de campos. Desenvolvimento de novas tecnologias para contribuição do aumento da recuperação do reservatório, focando em: estudos poliméricos, injeção de gás e outras técnicas de recuperação.   4) Novas Energias: novas soluções em sistemas integrados para o fornecimento de energia, sistemas de armazenamento de energia (solar e eólico), estudo de sistemas fotovoltaicos para energia solar, melhorias e propostas disruptivas: novas tecnologias em PV (materiais) para o aumento da eficiência, BIPV (building integrated PV) painéis solares integrados à construção) com foco no componente econômico, novas formas de geração de energia elétrica para plataforma offshore.  5) Estudos em Gás Natural: desenvolvimento de políticas energéticas que visem à integração entre o mercado de gás e energia como forma de priorizar a monetização do gás natural nacional; análise do mercado de gás: benefícios do desenvolvimento de térmicas na base, geração distribuída de gás como complemento a energias renováveis intermitentes (desafios tecnológicos, regulatórios e econômicos). Análise do mercado de líquidos de gás natural, novos mercados consumidores, infraestrutura e logística necessária para a monetização do gás do pré-sal; transporte e distribuição de gás no Brasil: novas formas de estocagem e transporte de LPG e LNG (caminhões, barcaças, trem) e seus desafios logísticos e tecnológicos regulatórios e econômicos, estudos na geração elétrica offshore, GTL análise dos desafios tecnológicos, regulatórios e econômicos, geração de energia com hidratos, analise da forma de consumo para gás natural transportado (stranded gas); transição energética, desafios relacionados ao clima e o papel do gás natural.  6) Geopolítica de Petróleo: mercado de energia, desenvolvimento da indústria, perspectivas futuras da indústria, macroeconomia, mercados em crescimento.    De acordo com a Líder de Tecnologia da Equinor no Brasil, Andrea Achôa, o lançamento desta chamada pública da Equinor em parceria com a CNPq mostra que a empresa está estendendo o foco de seus investimentos de P&D no Brasil: "Queremos estimular o desenvolvimento de competência também em novas energias, gás natural e geopolítica de petróleo. São temas que estão alinhados com a estratégia da Equinor no Brasil e têm grande relevância para o desenvolvimento da matriz energética brasileira”. Andrea lembra também que essa iniciativa reforça como é importante para a Equinor investir no desenvolvimento de competência local: "Isso é a base primordial para a sustentabilidade do setor e a elaboração de futuros projetos"  Veja nesse link mais detalhes sobre a chamada pública.