O Porto de Barcelona tornou-se o primeiro complexo portuário espanhol a estar munido de um posto de abastecimento de gás natural, integrado numa estação de serviço da Galp – tal concretizou-se graças à joint venture formada pelo Grupo HAM (sediado na cidade catalã), que edificou a estação de GNL, a empresa de energia lusa e a própria autoridade portuário de Barcelona.

A estação da Galp está configurada para abastecer veículos com gás natural liquefeito (GNL) e comprimido (GNC), sendo descrita pela HAM como uma infra-estrutura essencial para «promover o uso do gás natural como combustível alternativo para o transporte terrestre de mercadorias».

Posto da Galp

A construção contou com financiamento comunitário, através do projecto ‘CHAMeleon’, que visa desenvolver a infra-estrutura de fornecimento de gás para o combustível veicular no corredor terrestre de Barcelona-Eslovénia. A nova instalação conta com duas bombas de GNC para camiões e veículos, duas bombas de GNL para camiões e um tanque criogénico de GNL de 60 m3 de capacidade.

Esta nova instalação no porto catalão integra o Plano de Melhoria da Qualidade do Ar da Autoridade Portuária de Barcelona, destinado a cortar as emissões poluentes geradas por um dos portos mais importantes da região mediterrânica e mais movimentados da Europa Ocidental.

Para Mercè Conesa, presidente da Autoridade Portuária de Barcelona, este novo posto de abastecimento, agora inaugurado, «é o reflexo do compromisso do Porto de Barcelona no sentido de promover o recurso a combustíveis alternativos, limpos e sustentáveis, tais como o gás natural». Este caminho a seguir «reduz significativamente as emissões de óxidos de azoto e que elimina totalmente as partículas finas e os óxidos de enxofre», acrescentou.