Decisão trará prejuízos incalculáveis, aponta Federação.

A Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) manifesta seu repúdio contra a possibilidade de adiamento, para depois das eleições de outubro, da votação do projeto da venda de cessão onerosa pelo Senado Federal, o que resultaria em prejuízos incalculáveis para o Brasil na produção e exploração de petróleo. O projeto já foi retirado de pauta esta semana.

A previsão era de realizar um leilão do excedente de cessão onerosa em 29 de novembro, o que não será possível se o projeto for votado apenas depois do segundo turno das eleições, marcado para 28 de outubro.

É importante que nossos senadores tenham a percepção de que isto vai atrasar todo um cronograma de leilões e, em consequência, a produção de um importante recurso energético, geração de empregos e renda, royalties e arrecadação de impostos.

Estão em jogo a arrecadação de mais de US$ 10 bilhões em participações governamentais e mais de US$ 5 bilhões em investimentos até 2030, caso o calendário de leilões seja atrasado em apenas um ano.

O projeto da venda de cessão onerosa é essencial para a retomada do desenvolvimento socioeconômico do Brasil, que está tentando sair da maior crise da história. Não podemos privar a sociedade de seus benefícios.

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});