Arranca hoje a 99ª sessão do Comité de Segurança Marítima (MSC 99), marcando o arranque dos trabalhos da Organização Marítima Internacional (IMO) sobre as regulamentações relativas aos navios autónomos. Este comité começará por analisar de que forma a segura operação dos MAAS (Maritime Autonomous Surface Ships) poderá ser absorvida pelo enquadramento da IMO.

Navios autónomos: análise do Comité de Segurança Marítima recairá sobre uma vasta gama de tópicos

Prevê-se, a partir de hoje, o estabelecimento de um grupo de trabalho com o objectivo de desenvolver um plano de acção e os termos de referência para uma correspondência interseccional, de acordo com informações prestadas pela IMO. O Comité de Segurança Marítima já havia reconhecido, na última sessão, ser urgente uma «postura pró-activa» face ao dossier da automação das embarcações, devido à velocidade dos desenvolvimentos tecnológicos na área.

O dia de hoje é visto como o ponto de partida para a análise de uma vasta gama de tópicos no âmbito da operação dos navios autónomos, desde o elemento humano, a segurança a bordo e a segurança dos navios que poderão interagir com os modelos autónomos, a interacção com as infra-estruturas portuárias, a pilotagem, a resposta imediata a incidentes e a protecção do ecossistema marinho.

É «importante» que a IMO lance as bases para a regulamentação, diz a Autoridade Marítima da Dinamarca

«Os primeiros projectos com navios autónomos foram lançados e nós já aprovámos os primeiros locais de teste na Dinamarca. Por outras palavras, o desenvolvimento neste domínio é rápido e é crucial que o regulamento internacional seja acelerado. É por isso que é tão importante que a IMO comece agora a lançar as bases para tal regulamentação», afirmou Andreas Nordseth, director-geral da Autoridade Marítima da Dinamarca, na antecâmara da sessão de trabalhos que hoje arranca.