A petrolífera estatal venezuelana PDVSA comprou quase US$ 440 milhões em petróleo no mercado internacional e o enviou diretamente a Cuba sob condições de crédito amigáveis e, frequentemente, com prejuízo, segundo documentos internos da empresa aos quais a Reuters teve acesso.