A ABTRA analisa as principais notícias na imprensa nacional, regional e segmentada.

Estadão, Folha On-line e Valor On-line informam que amanhã a ministra Ana Arraes deve pedir a rescisão da prorrogação antecipada do contrato do grupo Libra no Porto de Santos. Relatora de processo que avalia a legalidade da prorrogação dos contratos, Arraes promete seguir a recomendação da área técnica do TCU.

A coluna da Mônica Bergamo na Folha fala da decisão do procurador-geral de Justiça de SP, Gianpaolo Poggio Smanio, de arquivar inquérito contra Márcio França, investigado sob suspeita de participação em esquema de fraude em licitações e superfaturamento de contratos na Codesp.

O Estadão destaca que o TCU quer restringir as contratações de empreiteiras por concessionárias que tenham, entre seus sócios, empresas coligadas. O objetivo é evitar combinações de preços entre contratantes e prestadores de serviços.

A Folha também fala do impacto negativo que a redução para 4% no imposto de importação sobre bens de capital, proposta pela Fazenda à Camex, terá nas negociações de acordos internacionais, inclusive entre Mercosul e União Europeia.

O Valor On-line fala da preocupação das exportadoras de suco de laranja do Brasil a respeito da perda contínua de clientes para o México. De acordo com a CitrusBR, na safra 2014/15, o Brasil foi a origem de 59% das compras americanas do produto no exterior, participação que recuou para 50% em 2016/17.

O Valor On-line informa o crescimento, pela primeira vez desde 2014, dos investimentos do governo federal, no primeiro trimestre, em relação ao mesmo período de 2017. Somaram R$ 8,5 bilhões, alta de 44%, descontada a inflação.

Imprensa regional:

A Tribuna de Santos volta a informar que os preços referentes à cobrança do THC-2 passam a ser definidos pela Antaq, tanto para os terminais arrendados como também para os TUPs, conforme proposta de alteração da Res. 2.389 pela diretoria da agência.

A Tribuna de Santos e o G1 Santos destacam que ontem a Alfândega apreendeu 327 kg de cocaína no Porto de Santos, ocultos em sacas de açúcar cristal num contêiner com destino à Espanha.

A Tribuna também destaca que a Codesp prevê ampliar o tráfego no canal do Porto de Santos para navios de 366 m. Para tanto, serão necessários o aprofundamento do canal para 16 metros e um novo projeto de amarração de cargueiros no cais, conforme estudo da USP apresentado na quinta-feira passada.

Ainda de acordo com a Tribuna, a Codesp recebeu nota 7,8 no Indicador de Governança (IG) da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais, do Ministério do Planejamento. Ficou acima da média geral de 6,93 das 46 estatais controladas pela União.

Imprensa segmentada:

A Portos e Navios traz artigo sobre o novo processo de exportação através da DUE, destacando que participaram todos os intervenientes e que é imprescindível agora que o exportador revise seus fluxos e práticas operacionais, interligando as áreas fiscal, contábil e de comex.

O Brazil Modal reproduz release do MDIC sobre o lançamento amanhã do novo serviço eletrônico relacionado ao regime de drawback, acessível no Portal Único de Comércio Exterior.

O Brazil Modal também reproduz release da Antaq sobre a participação do diretor-geral Mário Povia em debate sobre o Decreto dos Portos, na OAB-RJ. Ele afirmou que o decreto impacta fortemente a desburocratização do setor pela adoção de um trâmite mais racional e célere, encurtando, por exemplo, o prazo da liberação da outorga.

O Informativo dos Portos fala da plataforma Global Shared Container Platform (GSCP), criada pela dinamarquesa Blockshipping. Segundo a matéria, a plataforma baseada em blockchain permite que seja realizada uma ampla gama de transações on-line relacionadas ao manuseio e transporte global de contêineres.