BRASÍLIA  -  O leilão do excedente de petróleo da área da cessão onerosa não será viável sem um acordo prévio entre União e Petrobras em relação aos valores pagos pela empresa ao governo em 2010, quando ela recebeu o direito de explorar 5 bilhões de barris na área. Essa é a avaliação do novo ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, que falou em entrevista ao Valor nesta sexta-feira.