SÃO PAULO (Reuters) - A Prumo Logística reiterou nesta sexta-feira que o valor oferecido para a oferta pública de aquisição (OPA) de ações da companhia é de 11,50 reais, refutando reportagem de que a oferta seria elevada.

Em fevereiro, a empresa controlada pela EIG LLX Holdings estabeleceu o valor da OPA para fins do cancelamento do registro de companhia aberta.

Em fato relevante enviado após reportagem do jornal O Estado de S. Paulo informar que acionistas minoritários estariam mobilizados para elevar o preço na oferta para 15 reais, a empresa afirmou que "oferta em curso estabelece um valor por ação de 11,50 reais e que a EIG LLX não tem intenção de aumentar esse preço para 15 reais".

Em comunicado enviado à imprensa, a controladora EIG Holdings informou ainda que entrou em contato com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para pedir uma apuração sobre "a origem e o propósito desses rumores", além de uma investigação sobre "possíveis manipulações de mercado e violação de informações privilegiadas".

A EIG afirmou que não há intenção nem capacidade de aumentar o preço da OPA que, segundo a empresa, reflete um prêmio de 68 por cento sobre o preço da ação antes do início da operação.

"Estamos preocupados com esses rumores incorretos que levaram a uma oscilação brusca do preço da ação. A CVM foi acionada para investigar uma potencial manipulação do mercado, além de possíveis violações das regras de insider trading", disse R. Blair Thomas, presidente-executivo da EIG Global Enegy Partners e principal executivo da EIG Holdings.

A OPA está marcada para esta sexta-feira na B3.

Por volta das 16:12, as ações da Prumo subiam 1,61 por cento, a 11,38 reais.

(Por Flavia Bohone)