O navio conteineiro Maersk Honan, que transportava cargas com destino ao Brasil, registrou explosões e um incêndio em seus contêineres. O incidente ocorreu na noite da última quarta-feira (07), quando a embarcação navegava pelo Mar da Arábia, a cerca de 900 milhas náuticas a sudoeste de Salalah em Omã, a caminho de Suez, no Egito, segundo nota divulgada pela armadora Maersk Line.

O cargueiro tinha 27 tripulantes a bordo na hora do acidente. Eram 13 indianos, incluindo o capitão do navio. O restante da equipe era formado por filipinos, britânicos, romenos e tailandeses.

Segundo as autoridades, um dos marítimos veio a falecer. Ele foi um dos 23 resgatados por um navio que passava nas proximidades da embarcação. Quatro pessoas estão desaparecidas. Os demais 22 tripulantes foram internados.

Imagens divulgadas do incidente mostram que as explosões ocorreram nos contêineres que estavam na proa (frente) do navio.

Em seu comunicado, a Maersk classificou a situação como “muito crítica”. “Depois de ter falhado em seus esforços de combate a incêndios, a equipe enviou um sinal de socorro e um total de 23 membros da equipe foram evacuados com segurança para o navio próximo ALS Ceres, que chegou ao local em torno de 18h30 GMT. Lamentavelmente, quatro membros da equipe continuam desaparecidos. A situação do navio é muito crítica”, informou a empresa.

A armadora ainda divulgou que desconhece a causa das explosões. Com capacidade para transportar 15 mil contêineres, o Maersk Honam é um dos maiores navios de cargas do mundo. A embarcação partiu do Porto de Singapura no último dia 1 e estava se encaminhando para Suez quando o acidente aconteceu.